25 de abril de 2011

Moda: Cores Outono e Inverno 2011

A moda outono inverno 2011 traz cores mais cruas, do urbano e, ao mesmo tempo, cores que se voltam para a natureza. Há uma preocupação crescente com o meio ambiente que é transportada para as cores. Segundo a Lenzing “a necessidade crucial de coexistência entre a natureza e a paisagem urbana se reflete nas paletas de cores e as histórias de onde elas vem”. Cores de alimentos como a cor beterraba, cores que lembrando o couro, ossos, como marfim e cores cruas da natureza, como os tons terra e nude.
Cores
preto e o cinza exploram o ar misterioso e fechado da moda outono inverno. Essas cores apareceram muito nas coleções outono/inverno da moda  masculina e feminina da São Paulo fashion Week. A cor preta para todo o inverno dá o seu ar da graça, mesmo que não saia nas paletas de tendências de cores da estação. Essa é a verdade! O cinza já pode ser visto em uma infinidade de tons nas vitrines.
Moda outono inverno

verde musgo lembra folhagens e outros elementos da própria natureza. Essa cor apareceu em muitas coleções – estilo que pode ir do militar ao clássico.
Cores nude e terra lembram elementos crus da natureza, como a própria terra, galhos, pedras. Eles criam efeitos interessantes combinados com outras cores.
Cores da moda
As cores vermelhovinho (diversos tons como o borgonha) e laranja esquentam amoda outono inverno2011. O vermelho tem uma aceitação grande por parte das mulheres.
roxo de outras estações agradou e continua. Agora ele também aparece em outros tons (lavanda, lilás, etc), inclusive nos esmaltes e prometem colorir a estação. 2010 os esmaltes roxo e lilás emplacaram nas mãos das mulheres. Lembram?
Cores como, amareloverdeazul aparecem combinados com outras cores, como o preto e fazem parte de aplicações, estampas, detalhes e acabamentos de várias roupas.
As paletas de cores mostram uma moda outono-inverno 2011 repleta de cores que podem evidenciar diversas combinações e estilos. Não há centralidade no ar “frio” da estação. Cores iluminam, esquentam, dão classe, estilo e colorem o clima frio. A diversidade da natureza é evidenciada nas cores.
Gente, quero ouvir vocês!
Qual a sua cor preferida dessa estação? Deixe a sua opinião dos comentários.

DOZE ERVAS QUE PROMOVEM BONS FLUIDOS...

----- Doze ervas que promovem
  bons fluidos para sua casa
  Não é preciso morar no campo para aproveitar as propriedades provenientes das
  ervas. Ótimas purificadoras de ambientes, elas funcionam como protetoras da
  casa, quando plantadas em floreiras ou compondo arranjos. Muitas delas são
  associadas a símbolos de riqueza, prosperidade, amor. Os diferentes aromas e
  formas estimulam sensação de bem-estar e, segundo a herborista Maly Caran,
  ajudam a atrair coisas boas para o dia-a-dia.
  Alho - tradicional amuleto de proteção e boa sorte. Na Roma Antiga, era
  mastigado cru antes de os soldados irem para as batalhas, pois dava
  resistência e força para enfrentar o inimigo. É fácil cultivá-lo em casa,
  basta enterrar um dentinho num vaso: “O melhor é plantar na cozinha ou manter
  sempre uma réstia de alho pendurada perto do fogão. Isso mantém a família
  unida e protegida das más influências”, conta Maly.
  Artemísia - erva da vitalidade e do entusiasmo. Ajuda a superar períodos de
  cansaço ou baixa de energia. O nome vem do grego Artemis, evocando a deusa da
  fertilidade e da feminilidade: “Quando tive meu terceiro filho, enfeitei a
  casa toda com essa erva, que protege o momento do parto e das colheitas. É
  ótima para espantar os maus fluidos, e um galhinho colocado no sapato guarda
  as pessoas durante longas viagens”, diz Maly.
  Arruda - utilizada pelas benzedeiras para espantar o mau-olhado, essa erva de
  cheiro forte tem efeito protetor, simbolizando o arrependimento. É ótimo tê-la
  por perto: “Estimula a consciência dos próprios erros e ilumina as decisões
  mais acertadas”, conclui a herborista.
  Malva - planta dos prazeres e da beleza. Suaviza os ânimos, ressalta as
  características femininas na mulher e desperta a sensibilidade nos homens.
  Facilmente cultivada em vasos, embeleza a casa e estimula a paixão: “Quando
  quiser conquistar alguém, coloque folhas de malva debaixo do lençol. No
  mínimo, o perfume será muito agradável”, sugere Caran.
  Manjericão - erva associada à riqueza, à abundância e à boa sorte. Diz a lenda
  que ter em casa os sete tipos diferentes de manjericão traz dinheiro e
  prosperidade. “Plante as mudas ou sementes em lugar ensolarado e, quando
  começarem a crescer, o dinheiro estará chegando”, acredita Maly Caran. Os
  ramos também podem ser usados em arranjos e duram cerca de uma semana na água.
  Essa erva perfuma e embeleza os ambientes, com efeito estimulante e
  revitalizador.
  Tomilho - uma plantinha cheirosa e de fácil cultivo. Fica bonita em vasos, mas
  as pequenas folhas secas também aromatizam os ambientes. O nome vem da palavra
  grega thymia, que significa perfume. Ótima para afugentar melancolia e
  estimular vigor e lucidez na hora de tomar decisões importantes.
  Sálvia - o nome vem do latim, salvare, que evoca a cura. Era com a queima da
  sálvia que os curandeiros combatiam a peste e purificavam o ar dos ambientes
  infectados. “Em casa, um vaso de sálvia protege os moradores contra acidentes
  e doenças graves. A erva seca é usada na defumação. Nas duas formas promove a
  sensação imediata de força e bem-estar”, explica a herborista.
  Hortelã - importante ter essa erva por perto quando a casa está em guerra, em
  tempos de turbulência e conflitos. Ajuda a dissolver a raiva e controla as
  atitudes precipitadas. “Essa planta tem efeito calmante e harmonizador. Tê-la
  em vasos ou arranjos, tomar chá ou banho com ela apazigua os ânimos”, acredita
  Caran.
  Salsinha - famoso tempero, também é conhecido como a erva da juventude.
  Cultivar um vaso ou canteiro de salsinha traz entusiasmo, restaura a força e a
  saúde dos moradores. “Além de ser um anticanceroso intenso e de regular o
  ciclo menstrual, a erva, usada no banho de infusão, elimina as energias
  negativas do corpo e dá ânimo”, ensina Maly.
  Louro - erva da fama e da glória. Na tradição greco-romana, imperadores,
  heróis e poetas usavam coroas de louro como sinal de que eram pessoas muito
  importantes. Ela tem propriedades purificadoras e relaxantes. “As folhas
  frescas ou secas mantêm-se sempre verdes. Colocadas no quarto, sobre a mesa ou
  no armário de roupas exalam perfume suave e atraem êxito”, garante a
  herborista.
  Mirra - essa preciosa erva de origem oriental foi oferecida pelos Reis Magos
  ao menino Jesus recém-nascido. É uma planta de proteção e cultivá-la num vaso
  na entrada da casa traz bons fluidos a quem chega, protegendo os ambientes de
  qualquer negatividade. “Coloque as folhas em peneiras e, depois de secas,
  queime-as. É um incenso natural muito agradável”, ensina Maly.
  Alecrim - erva da felicidade e do amor: “Quem está procurando um namorado deve
  guardar sempre um galhinho junto ao corpo”, aconselha Maly. O nome científico
  é Rosmarinus officinalis, que quer dizer orvalho do mar, simbolizando a
  inocência. Essa planta é forte e ao mesmo tempo delicada, gosta de sol e de
  vasos grandes. Em arranjos, os galhos combinados com rosas são a própria
  expressão do romantismo. As bruxas da Idade Média costumavam queimar alecrim
                                 

18 de abril de 2011

DESIGN: UM ESTILO DE VIDA


Design de Interiores

Bacharelado



É a arte de planejar e arranjar ambientes de acordo com padrões de estética e funcionalidade. O profissional harmoniza, em um determinado espaço, móveis, objetos e acessórios, como cortinas e tapetes, procurando conciliar conforto, praticidade e beleza. Planeja cores, materiais, acabamentos e iluminação, utilizando tudo de acordo com o ambiente e adequando o projeto às necessidades, ao gosto e à disponibilidade financeira do cliente. Administra o projeto de decoração, estabelece cronogramas, fixa prazos, define orçamentos e coordena o trabalho de marceneiros, pintores e eletricistas. Pode projetar salas comerciais, residências ou espaços em locais públicos. Esse profissional costuma trabalhar como autônomo, mas pode atuar também como funcionário de empresas especializadas em decoração e design de interiores ou, ainda, como consultor em lojas de móveis.

Dúvida do Vestibulando

QUAL É A DIFERENÇA ENTRE FAZER UM BACHARELADO E UM TECNOLÓGICO?
O bacharelado tem muitas disciplinas em comum com o curso de Arquitetura e Urbanismo e forma profissionais para atuar sobretudo com projetos, além da parte decorativa. Os cursos tecnológicos, por sua vez, são voltados mais para a decoração. Ao optar por um deles, preste atenção no foco do curso, que pode ser decoração e paisagismo ou design de móveis e ambientes.

O mercado de trabalho

O mercado está em alta para bacharéis e tecnólogos. Isso graças à boa fase econômica do país, que elevou a renda da população. "Há uma explosão no número de casas populares e edifícios para a classe média em todo o país. São residências pequenas, por isso os móveis têm de ser bem planejados. É uma questão de necessidade, não mais um luxo. Portanto, trata-se de um público novo que começa a demandar a mão de obra do designer de interiores", explica Cristina Elizabete Silva Ragaini, coordenadora do curso tecnológico da UMC. Nesse caso, os maiores empregadores são as lojas de móveis planejados. O mercado considerado "de luxo" também continua a gerar oportunidades para o profissional que trabalha por conta própria. Uma das maiores demandas vem da área corporativa, em que o designer é requisitado para elaborar andares inteiros de escritórios e salas de reuniões. Já os escritórios de decoração contratam com frequência o especialista em projetos para atender às necessidades de lojas, bares, restaurantes, hotéis, pousadas, clínicas, hospitais e escolas. "A hotelaria é uma área que, graças ao potencial turístico do Brasil, ainda vai crescer muito por todo o país e demandar o trabalho do designer de interiores", diz Jéthero Cardoso de Miranda, coordenador do bacharelado do Belas Artes. Além das capitais de negócios, como Rio e São Paulo, as outras também devem registrar aumento de demanda, sobretudo na Região Nordeste. Outra área que promete crescimento é a de projetos de acessibilidade para pessoas com necessidades especiais. "Teatros, cinemas, condomínios residenciais e comerciais precisam se adaptar, e tudo isso implica alteração de projeto de interiores", explica Cardoso de Miranda. Fabricantes e montadoras de automóveis também contratam o profissional para desenvolver volantes e estofados. 

Salário inicial: R$ 2.250,00 (fonte: prof. Jéthero de Miranda, do Belas Artes).

O curso

Há poucos cursos de bacharelado no país. É grande a ênfase na parte prática, com atividades a mão livre e o uso de recursos da informática. Boa parte da carga horária é dedicada ao desenvolvimento de projetos, com aulas de perspectiva e desenho artístico e arquitetônico, assim como de técnicas de instalação e iluminação. As atividades extracurriculares também são frequentes. Prepare-se para visitar museus e exposições de arte, assistir a palestras e fazer pesquisas em bibliotecas. No fim do curso, as escolas costumam exigir um estágio ou uma monografia. 

Duração média: quatro anos. 

Outros nomes: Decoração; Decoração e Design; Design (decoração de interiores); Design (interiores).

O que você pode fazer

Desenho de móveis

Criar peças conforme as necessidades do cliente, adaptando-as ao espaço disponível.

Decoração e paisagismo

Cuidar da colocação de móveis e acessórios em ambientes residenciais e comerciais internos. Em áreas externas, usar arte e técnica para projetar, organizar e embelezar espaços com plantas e jardins.

Gerenciamento

Acompanhar a compra de móveis e acessórios, fazer orçamentos e contratar mão de obra.

Projeto

Organizar ambientes de acordo com as necessidades do cliente. Elaborar plantas e maquetes, indicando o estilo, as cores e a disposição de móveis e objetos no espaço.
                                       

14 de abril de 2011

Casa Brasil Design


Bento Gonçalves:Maravilha da serra gaúcha, terra do vinho, do móvel e do Design

Bento Gonçalves, uma das mais belas cidades da serra gaúcha, situada a 119 quilômetros de Porto Alegre, é a terra do vinho, do móvel e do design. Por isso, é a cidade sede da Casa Brasil. É lá, entre vinhedos e paisagens de geografia única, que centenas de pessoas se reúnem para viver e respirar design.
Considerada o polo nacional do design, devido à sua grande influência no setor moveleiro nacional, Bento Gonçalves inspira naturalmente com suas casas de pedra, madeira, moinhos e cantinas, tudo erguido no início do século passado pelos imigrantes italianos.
Além disso, possui atrações turísticas que são uma delícia. Experimente chegar uns dois dias antes de a feira para conhecer melhor a região. Comece com um passeio de Maria Fumaça. São 23 quilômetros, entre Bento, Garibaldi e Carlos Barbosa, regados à música, vinhos e champanhe, tarantela, coral italiano e uma atração surpresa. A ferrovia foi inaugurada em 1919 e hoje é alternativa de turismo para a região. Provavelmente suas ideias serão renovadas com tamanha beleza natural e riqueza cultural que a atividade proporciona.
Os caminhos de pedra também são imperdíveis e têm muito a acrescentar. Trata-se de um dos primeiros núcleos da imigração italiana no Estado e uma das maiores atrações turísticas de toda a região. As construções retratam com fidelidade a história de mais de um século da imigração. Em muitas dessas casas antigas se encontram descendentes diretos dos imigrantes. O cenário ainda é composto por moinhos, cantinas coloniais, ferrarias, casas de massas caseiras e teares. Sem falar nas casas centenárias, espaçosos porões, capelas e capitéis. Vale conferir.
Para os amantes do vinho, o Vale dos Vinhedos deve ser destino certo. Situado entre as divisas de Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo do Sul o local tem e abrange áreas dos três municípios, sendo que sua maior parte está em Bento.
O Vale dos vinhedos se transformou, com o trabalho e dedicação de seus colonizadores, em uma das melhores regiões produtoras de vinho do Brasil. Quem o visita pode perceber que os costumes e as tradições italianas continuam enraizados, passados de geração a geração, com famílias inteiras trabalhando em suas pequenas cantinas na elaboração de vinhos da mais alta qualidade.
A excelência das bebidas que levam a marca Vale dos Vinhedos é reconhecida mundialmente. As técnicas empregadas na produção, o clima e a nobreza das castas garantem um produto de ótima qualidade, que já conquistou importantes prêmios nacionais e internacionais, principalmente em países da Europa. Uma dica: é o melhor lugar para comprar vinhos.
Polo da inovação
Bento Gonçalves é também o maior polo moveleiro do País em número de empresas, faturamento e empregabilidade. A indústria da região opera com tecnologia de última geração e utiliza os mais modernos e qualificados sistemas de gestão do mundo. Reconhecido internacionalmente pelo pioneirismo de suas organizações, que apostam no aperfeiçoamento profissional, o polo de Bento Gonçalves é o segundo maior exportador do país, ficando atrás apenas de São Bento do Sul (SC).
O polo moveleiro de Bento Gonçalves deu origem às primeiras empresas no Brasil a criar lojas monomarca de mobiliário. Há menos de uma década, os fabricantes da região entenderam que, para que o consumidor percebesse os diferenciais que estavam sendo agregados ao seu produto, com novas matérias-primas e design, era preciso sair do varejo multimarcas e passar a vender o móvel em lojas exclusivas ou franquias. A partir daí, surgiu uma rede de varejo do setor que se transformou na maior do país. As marcas DellAnno, Favotiva, New, Todeschini, Italinea, Criare, SCA, Bentec, Evviva Bertolini, Manfroi, todas da região, tem juntas quase 4 mil lojas exclusivas em todo o país e 29 no exterior.

11 de abril de 2011

Feng Shui

                                        
Essa técnica milenar chinesa de harmonização de energia da casa invade o Ocidente e modifica radicalmente o nosso olhar em relação às nossas moradias. Com o Feng Shui, cores, formas e disposição dos objetos passam a ter uma importância pelos ocidentais.
Ao entrar numa casa, a primeira impressão já nos revela uma série de informações. Num relance, já podemos avaliar se ela é clara e luminosa, se os móveis estão dispostos em harmonia, se a limpeza e a organização fazem parte dos hábitos da família. Cheiros e perfumes, tonalidades alegres ou tristes, agitação ou calma traduzem para nós o que achamos de astral da moradia. Pois os chineses, há 500 anos, se detiveram para pensar quais seriam exatamente os elementos que poderiam garantir o bom astral da casa, trazendo equilíbrio, felicidade e bem-estar aos seus habitantes. A esse método de harmonização de ambientes foi dado o nome de Feng Shui.
As palavras Feng Shui apontam como poderíamos trabalhar a energia de uma habitação. Feng significa vento e indica que pela casa circula uma energia poderosa e vital tão invisível quanto ele. Shui significa água e mostra que essa energia pode Ter o comportamento da água, circulando como um rio em um lugar ou estacionando como um lago em outro. Essa energia é chamada pelos chineses ch’i (pronuncia-se tchi), ou energia vital. O Feng Shui orienta o fluxo do ch’i, que circula pela casa, com diversas técnicas, fornecidas pelas suas três escolas principais: a da forma, a da bússola e a do Chapéu Negro.
O COMEÇO DE TUDO
Para realizar a aplicação prática do Feng Shui é preciso, antes de tudo, compreender como é formado o ch’i, a poderosa energia cósmica que permeia todo o universo.
Para desenvolver sua bela teoria sobre a origem do universo, os chineses preferem utilizar o forte poder de expressão dos símbolos. Para eles, a linguagem simbólica chega muito mais perto da verdade do que as palavras. Mesmo assim, alguns sábios da china se arriscam a colocar em textos toda a beleza dos seus antigos conhecimentos.
Segundo a tradição chinesa, o universo é uma das expressões do Tao. Muito foi escrito para tentar se definir o Tao. “O Tao que pode ser definido não é mais o Tao”, sintetiza lacônico o sábio Lao-Tsé nos primorosos versos do To Te King. Mas um pequeno livro, considerado como um dos perfeitos textos ocidentais sobre o taoísmo (Wu Wei, a Sabedoria do Não-Agir), consegue tratar do assunto de uma forma que entendemos. Henri Borel, seu autor, fala sobre o tão usando as frases do seu personagem principal, próprio Lao-Tsé: “Em poucas palavras, poderia dizer que o Tao não é senão o que vós, estrangeiros, entendeis pôr Deus. (...) Observa que ambos ser designados pelos mesmos atributos. O Tao é o único, o Absoluto, o Princípio e o Fim. Ele compreende tudo e tudo a ele retorna”.
O Tao, portanto, antecede a criação. Esse vazio pleno de potencialidade é fecundado pelo desejo da criação do universo, que se manifesta em duas forças opostas e complementares: o yin e o yang. O entrelaçar ininterrupto dessas duas forças polarizadas irá gerar o ch’i, ou respiração cósmica, a energia primordial. O yin é representado pela cor escura e simboliza o feminino, suave e o receptivo. O yang é a força masculina, luminosa, ativa e criativa. Isso é demonstrado nos pontos de cores opostas dentro do tai ch’i 9 ou pleno de ch’i), símbolo que deve ser visto como se estivesse em movimento.
Os chineses usam uma metáfora poética para designar o yin e yang: eles são os pais do universo e o ch’i o amor que os une. Para explicar como eles geram a multiplicidade das coisas, passaram a representar o yin como uma linha contínua. Desses progenitores nascem dois filhos e duas filhas e, mais tarde, oito descendentes: formam-se os oito trigramas. Cada descendente é associado a uma estação, cores, fenômenos da natureza ou filhos de uma família. Esse princípio é utilizado em toda cultura chinesa, da medicina ao I Ching, o grande oráculo do Externo oriente.
O yin e o yang são forças que se manifestam fisicamente na natureza pôr meio de cinco elementos: fogo, terra, metal, água e madeira. Esses elementos formam ciclos, que podem ser de nutrição (construtivos) ou de controle (destrutivos). No Feng Shui, eles são usados para saber como aumentar ou cortar a energia de um elemento. Pôr exemplo, onde existe muito metal, com a presença de móveis de ferro, é adicionado fogo, como um vasos de flores vermelhas, pois é ele quem derrete o metal- utiliza-se assim o ciclo do controle. Para aumentar a potência dos elementos, usa- se o ciclo de nutrição. Os cantos da casa também são detectados conforme os cálculos e referências usados em cada uma das três escolas de Feng Shui.
Onde predomina a polaridade yang, o ch’i corre mais rápido, pois o yang é movimento, e onde vigora a polaridade yin, o ch’i é mais lento, pois yin é inércia. Dentro de uma casa, é ideal que haja equilíbrio: o ch’i não deve ficar estagnado. É assim que ele deve fluir: sinuoso e suave como um rio tranqüilo. Os elementos, com suas polaridades, contribuem para que isso aconteça e os especialistas em Feng Shui sempre jogam com eles para obter esse equilíbrio. Formas e cores também são associadas aos elementos. Essa correspondência, mais a relação com os animais, é o tema principal da mais antiga escola de Feng Shui: a Escola da Forma.
ESCOLA DA FORMA
Os princípios da mais antiga escola de Feng Shui, a escola da forma, são utilizados ainda hoje pelos especialistas contemporâneos do método.
Atentos observadores da natureza, os chineses notaram que os elementos que dela faziam parte podiam ser reduzidos a cinco formas principais. Mais: viram que esses elementos podiam ser simbolizados em formas de ícones. Por exemplo: o triângulo representa o fogo, pois as chamas tem forma triangular; o cilindro é o símbolo da madeira, pois lembra um tronco de árvore; a estabilidade do quadrado representa a terra; formas onduladas, a água; e o círculo, o metal.
A esses formatos básicos foram associadas cores: vermelho para o fogo, amarelo para a terra, verde para a madeira, azul- escuro para a água (o alto mar é azul- escuro) e branco para o metal. Também foi feita uma correspondência entre as cores e cada estação: verde para a primavera, vermelho para o verão; azul- escuro ou para o inverno e branco para o outono- o amarelo está presente no começo e no fim de cada estação. Mas o que os chineses mais gostavam de associar ás forças eram os animais.
A tartaruga, com sua estabilidade, está associada no inverno e ao norte; a fênix, um pássaro mítico, está ligada ao fogo e ao sul; no leste fica o tigre, branco, que corresponde ao outono, a oeste, o dragão, verde, associado á primavera. No centro fica a cobra, marrom- amarelada como a terra. O estudo das formas será base de outra grande escola: a da Bússola.
ESCOLA DA BÚSSOLA
A mais tradicional e mais antiga escola de Feng Shui da China se utiliza de três instrumentos básicos: a bússola, um disco de metal com até 48 anéis gravados com caracteres chineses e uma agulha magnética no meio (lo pan); o pa kuá, ou ba- guá ( veja a escola do Chapéu negro), e o quadrado mágico, o lo shu.
A escola da Bússola avalia não só a casa e o terreno mas também os habitantes que a ocupam. Ela considera o espaço (as formas da terra) e o tempo (as influências cósmicas, determinadas pela astrologia e pela numerologia). Isto é, os signos astrológicos dos moradores e os seus números pessoais são tão importantes quanto o terreno e a disposição da casa e dos móveis.
O número pessoal do dono da casa influi nas partes mais yang, mais movimentadas da habitação, como a sala, a cozinha o quintal, e o número da dona da casa, nas partes mais íntimas (quarto do casal, banheiros). Veja agora como calculá-lo.

Para os homens: Some os últimos dois números do seu ano de nascimento. Se o resultado for maior ou igual a 10, some novamente até atingir um único dígito. Em seguida, diminua esse número de 10. Se o resultado der 5, troque por 2. Se der 0, troque por 9.

Para as mulheres: Faça o mesmo processo dos homens em relação ao seu ano de nascimento. Quando chegar a um dígito, some 5. Se resultado for 5, use 8. Se der 0, troque por 9. Para conhecer as direções favoráveis e desfavoráveis, use uma bússola a partir do centro de casa ou de cada ambiente e encontre o norte. Suponha a planta da casa ou do cômodo ao diagrama do seu número (os dois nortes devem coincidir). As áreas em verde são favoráveis, e as vermelhas, desfavoráveis.

Localizações auspiciosas Fu Wei= FW Ótimo lugar para a paz e a boa sorte Tien Yi= TY Boa área para quem tem problemas de saúde Nien Yen= NY Localização que melhora os relacionamentos Sheng Chi= SC Atrai dinheiro e prosperidadeLocalizações desfavoráveis Ho Hai= HH Área de perda financeira. Boa apenas para despensa. Wu Kwei= WK Perogo de fogo, roubo e brigas. Só para banheiros. Chueh Ming= CM A pior das áreas. Boas para a cozinha, com o fogão girando para uma área favorável. Não deve coincidir com a entrada da casa. Lui Sha= LS Causa doenças e dificuldades legais. Boa para despensa.

Lo Shu, quadro mágico

Conta uma lenda que um sábio e xamã da antiga China, chamado Yu, viu estranhas marcas na carapaça de uma tartaruga saída do Rio Lo. Ele percebeu que as marcas podiam ser transformadas em números e que todos eles somavam quinze em todas as direções, como se fossem algarismos mágicos. Esse quadrado é aplicado pela Escola da Bússola junto ao pa kuá (ba-guá) em cima da planta ou do terreno de uma coisa. Os números inteiros são móveis e se movimentam de acordo com a colação do número pessoal. Esse movimento é chamado de Estrela de Saturno e já era conhecido dos judeus especialistas em Cabala. Cada número corresponde a um triagrama e confere determinadas características ao local.

E no hemisfério sul muda tudo?

Praticantes da Escola da Bússola enfrentam um grande dilema. Como as observações da natureza em que se baseia o Feng Shui foram feitas na China, portanto no hemisfério norte essas orientações ao aplicá-las no hemisfério sul, onde os ciclos da natureza são diferentes e invertidos? Roger Green, especialista australiano em Feng Shui, em certeza que sim. Para ele, o sul foi associado ao verão, ao fogo e ao vermelho, por que na China, o calor vem da região do Equador e, portanto do sul. O norte foi associado ao frio porque as correntes geladas, no território chinês, vêm do pólo norte. O esclarecimento dessa polêmica pode levar anos. Somente com a aplicação do dois métodos no hemisfério sul e a avaliação dos resultados é que se pode ter certeza de que tudo deve ser invertido.
ESCOLA DO CHAPÉU NEGRO
Em vários países do Ocidente, uma terceira escola de Feng Shui vem causando interesse cada vez maior nos praticantes do método. Nascida do budismo tibetano, a Escola do Chapéu Negro apaixona os iniciantes pela sua praticidade.
Um mestre do budismo tântrico tibetano, Thomas Lin Yun, emigrou há mais de duas décadas para os Estados Unidos. Na sua bagagem, trouxe o conhecimento das escolas tradicionais de Feng Shui, acrescido de práticas mágicas oriundas da seita Bom, a primeira forma religiosa do Tibete, e de outras técnicas, que incluíam o aspecto psicológico do ser humano e o seu subconsciente. Para o mestre Lin Yun, da linguagem dos Chapéus Negros (as outras são as dos Chapéus amarelos, como a seguida pelo dalai Lama, e a dos Chapéus vermelhos, os Nyngmapas), o Feng Shui deve considerar não só o Feng Shui deve considerar não só as cores, as formas e os pontos cardeais mas também a relação psicológica entre o homem e o seu ambiente. Lin yun apóia-se no ba-guá como seu instrumento principal e o utiliza de uma maneira simples: alinha a porta principal com o lado referente ao guá trabalho. As suas bênçãos, ou expedientes para acelerar ou reduzir o fluxo do ch’i, incluem mantas (sins sagrados), posições de mãos (mudras) e a intenção da pessoa que as realiza. Objetos como quadros e retratos são usados como lembretes ao nosso subconsciente. Embora as curas sejam também utilizadas na escola da Bússola, que usa os cinco elementos, suas cores e formas, o mestre tibetano sublinha a importância do lado psicológico e do lado espiritual e mágico, com seus sons, gestos e intenção.
O instrumento mais importante para a Escola do Chapéu Negro é o ba-guá. Ele é aplicado na planta da casa ou em qualquer ambiente com a intenção de mapear as oito áreas da vida (os guás) que serão trabalhadas pelo Feng Shui, devidamente ativadas com seus elementos e cores correspondentes. Saiba que ao mexer num setor da sua vida, pois, para os chineses, a casa é a projeção de nós mesmos. Conheça agora os oito setores, com suas características principais.

TRABALHO- é a área do trabalho, mas também do cotidiano das pessoas. O seu elemento é a água e a cor o azul- escuro ou preto. Nesse setor, você deve ativar o movimento, com fotos ou quadros de mar com ondas calmas ou de rios com águas tranqüilas. Uma fonte também pode ajudar esse fluir.

ESPIRITUALIDADE- a espiritualidade e o conhecimento por meio do intelecto pertencem a esse setor. Seu elemento é a terra e para ativá-lo use a cor azul, verde ou prata em tecidos, almofadas, molduras. Objetos que simbolizem a espiritualidade ou a busca interior, como os livros, também podem estar presentes.

FAMÍLIA- é o setor da família, mas também de tudo o que herdamos dela, como nossas características genéticas. Por isso, é igualmente considerada a área da saúde. Objetos que ganhamos de herança podem ser colocados aqui, plantas e móveis de madeira, pois esse guá corresponde á primavera. A cor desse canto é o verde.

PROSPERIDADE- as formas arredondadas, que lembram moedas, e as cores azul, violeta e vermelho pertencem a esse canto. É o lugar ideal para vasos com plantas de folhas arredondadas, como a violeta, e objetos dourados. Ametistas, aquários, fontes ou rosas vermelhas também são excelentes. O elemento é a madeira.

SUCESSO- abrange não só o sucesso mas todo o que for relacionado com a auto- realização em todos os níveis- pessoal, profissional, emocional e espiritual. A cor vermelha e o fogo representam essa área. Objetos pontudos ou triangulares, como pirâmides, podem ficar aqui. Os animais em geral também integram essa área e aparecem no couro e na lã ou em imagens e quadros.

RELACIONAMENTOS- uma área bem feminina, dominada pôr vermelho, rosa e branco e pelo elemento terra. Objetos pares (só um par) devem ser colocados aqui. Luzes e velas também podem ativar o canto, que trata dos relacionamentos amorosos e de profissionais (como os de sócios). Fotografia do casal num momento de felicidade ou estatuetas de amantes ficam bem.

CRIATIVIDADE- os filhos e crianças estão incluídos nessa área, por isso objetos engraçados e brinquedos podem estar pôr aqui. O branco e o metal dominam. É o melhor lugar para o aparelho de som e a TV.

AMIGOS- imagens de anjos ou santos estão nesse canto. Fotos de amigos queridos ou de alguém de quem você quer se aproximar devem ser colocados aqui. O branco, o cinza e o preto ficam bem em molduras ou tecidos. Seu elemento é o metal.

CENTRO DE TAI CH’I- relacionado ao elemento terra e á cor amarela. No centro se dá o equilíbrio das forças e a estabilidade. Objetos de cerâmica em tons de terra ou amarelos são ideais. O tai ch’i também está relacionado à saúde, no sentido de bem- estar e integração física e psicológica.
AS NOVE CURAS
As curas empregadas pelo mestre Lin Yun partem do princípio de que o ch’i, ou energia primordial, precisa fluir adequadamente em todas as áreas. Para isso, utiliza expedientes para ativá-lo. São elementos que podem ser usados para desmanchar a energia sha (negativa) em todos os cantos da casa. São eles:
Objetos luminosos ou reflexos: espelhos, bolas de cristal, prismas, luzes
Sons: sinos de vento
Elementos vivos: plantas, flores, aquários
Água: fontes
Objetos móveis: móbiles, cata- ventos, pião, fontes
Animais: quando saudáveis, geram bom ch’i
Objetos de arte: harmônicos e com temas relaxantes
Objetos sólidos: esculturas ou pedras estabilizam um setor
Aparelhos elétricos: muito estimulantes, mas devem ficar longe da cama
Flautas de bambu: corrigem vigas e desníveis do teto
Cores: equilibram o ch’i, se escolhidas de acordo com os setores
                                          
AS TRÊS BÊNÇÃOS
Depois de aplicado o bágua e colocados os objetos de cura, é precioso interligá-los, mediante mantras, mudras e intenções, para que tenham efeito.

Mantras- são frases sagradas repetidas. O mantra mais usado no Tibete é “Om Mani Padme Hum” ou “Ó jóia preciosa de lótus”.

Mudras- são gestos rituais. O mais comum, o mandra do coração, une os dois polegares, com a mão esquerda por baixo e a direita pôr cima, simbolizando Céu e Terra. Pode ser substituído pela posição das mãos em prece.

Intenção- a bênção deve ser feita com intenção clara e bem expressa, mesmo se for apenas em pensamento.
APLICAÇÃO DO BA-GUÁ E CURAS DA CASA
Conheça as questões mais comuns de quem aplica o Feng Shui em casa.
1-Como aplicar corretamente o ba-guá em construções irregulares? Ele pode ser aplicado sobre ambientes ou plantas retangulares, basta esticar a figura: a partir do centro, divida o ambiente em oito partes, delimitando as áreas ou guás. Lembre-se de alinhar a área trabalho á porta de entrada. Chineses de várias escolas que aplicam essa técnica usam esse recurso. A figura perde a simetria perfeita, as áreas prosperidade, relacionamentos, espiritualidade e amigos aumentam, mas isso não significa que os guás família, sucesso, criatividade e carreira fiquem prejudicados ou recebam menos energia (isso só acontece quando existe uma área faltante, isto é, quando uma planta não preenche o guá).
2- Ao aplicar o ba-guá na planta de um apartamento, percebe-se que alguns cantos não existem. O que fazer? Se a planta for retangular, siga a orientação da resposta acima, caso contrário, alinhe o ba-guá á porta de entrada e trace uma linha imaginária para completar a área que falta no desenho da planta. Dessa forma, você fica sabendo qual é a área faltante. Na ilustração abaixo, pôr exemplo, falta metade do canto trabalho o guá amigos quase inteiro.
3- Como ativar os cantos do ba-guá não existentes na planta da casa? Algumas curas são indicadas. Se isso acontecer em áreas externas, uma cerca viva no jardim, pôr exemplo, completa esse canto. Já dentro da casa ou nos apartamentos, coloca-se um grande espelho na parede vizinha ao guá que falta . A idéia é “empurrar” a parede, ampliando o canto que falta.
4- Para os seguidores do Feng Shui, banheiro é sempre problema, pois a energia vital, o ch’i, é sugada pelo vaso sanitário. Como manter a energia que ao dar descarga o ch’i da pessoa também conheça algumas curas:
Toda vez que der descarga, abaixe a tampa do vaso.
Mantenha a porta do banheiro sempre fechada.
Pinte uma bolinha vermelha no teto em cima do vaso.
Coloque yus, bowls de vidro com água, plantas e nove cristais de quartzo na cor correspondente ao guá para transmutar energia.
Use vasos com terra e plantas sadias.

10 de abril de 2011

Exercício de meditação- É necessário praticar. Basta começar!

A meditação pode funcionar como uma ferramenta de relaxamento e nos auxiliar a quebrar o círculo vicioso do estresse que vivemos.
Qualquer pessoa e de qualquer idade pode praticar a meditação, basta começar!

Exercício de meditação para iniciantes

1. Coloque-se em uma posição confortável.
 Se estiver sentado, descruze pernas e deixe os dois pés bem apoiados no chão, mantenha a coluna ereta (sinta sua coluna apoiar-se em seus quadris) e acomode suas mãos sobre as pernas com as palmas virada pra cima.
• Se estiver deitado, descruze pernas e braços. Deixe os braços retos próximos ao corpo, e as palmas das mãos viradas para cima.
2. Feche os olhos e respire três vezes profundamente. Inspire contando até quatro e expire contando até sete. Concentre-se apenas em sua respiração.
3. Foque toda a atenção em seus pés. Sinta o que seus pés estão sentindo. Depois, lentamente, mude seu foco de posição e vá subindo por todas as partes do seu corpo, até o topo da sua cabeça.
4. Abra os olhos e repita a respiração feita no início da meditação.
5. Essa meditação deve durar de 10 a 15 minutos e pode ser feita sempre que sentir-se estressado e quiser relaxar.
O ideal é manter uma rotina para que sua mente seja educada. Se tiver disponibilidade de tempo, faça a meditação sempre no início da manhã e no final da tarde, por exemplo.

Exercício de meditação mais avançado

Ao sentir que já domina a técnica de meditação inicial, tente um exercício de meditação mais avançado.
Para isso você vai precisar de um relógio que tenha ponteiros de segundos(aqueles despertadores simples são os melhores).
1. Sente-se confortavelmente, como descrito na meditação para iniciantes e posicione o relógio de maneira que ele fique ao nível de seus olhos.
2. Repita o passo 2 da meditação para iniciantes.
3. Abra os olhos e tente focar toda sua atenção no ponteiro de segundos do relógio. Ouça o barulho do tique-taque, observe as formas do ponteiro, acompanhe-o com os olhos e tente pensar apenas nele.
4. Observe durante quantos segundos você consegue manter o foco sem que sua mente desvie a atenção e vagueie.
5. Se mantiver uma rotina de meditação, irá notar que o tempo de atenção irá aumentando. Tente chegar a dois minutos.

Exercícios de meditação: é necessário praticar

Percebeu que não é preciso gastar dinheiro, nem ter equipamentos especiais para meditar? Tudo que você precisa fazer é praticar. Quanto mais praticar, mais benefício vai obter e, eles são rapidamente percebidos: melhora a concentração, traz mais clareza aos pensamentos, promove o autoconhecimento e o relaxamento.
Tão importante quanto investir em uma boa saúde física, é procurar meios de se obter uma boa saúde mental. Isso porque a maneira como a mente se relaciona com o corpo - e vice-versa - é fator decisivo para a saúde como um todo.
A meditação também melhora o sono. Se esse for seu problema.
Exercício de meditação"Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho". (Mahatma Gandhi)